domingo, 30 de dezembro de 2012

Por que a Folha foi ao casamento do Cachoeira ?


A repórter Catia Seabra também foi à casa de ansioso blogueiro com o PT na mira.

 O Conversa Afiada publica texto de Leandro Fortes, um especialista em Gilmar Dantas (*):

JORNALISMO À MODA DE AL CAPONE


O que é mais incrível não é a Folha de S.Paulo mandar uma repórter “enviada especial” a Goiânia para cobrir o casamento de um mafioso com uma mulher indiciada por chantagear um juiz federal para tirá-lo da prisão, e sequer citar esse fato.

Carlinhos Cachoeira, vocês sabem, tem trânsito livre na imprensa brasileira.

Dava ordens na redação da Veja, em Brasília, e sua turma de arapongas abastecia boa parte das demais coirmãs da mídia na capital federal.

Andressa, a noiva, foi indiciada por corrupção ativa pela Polícia Federal por ter tentado chantagear o juiz Alderico Rocha Santos.

Ela ameaçou o juiz, responsável pela condução da Operação Monte Carlo, com a publicação de um dossiê contra ele. O autor do dossiê, segundo a própria ? Policarpo Jr., diretor da Veja em Brasília.

(Que o Odarelo Cunha não indiciou. – PHA)

Mas, nada disso foi sequer perguntado aos pombinhos. Para quê incomodar o casal com essas firulas, depois de um ano tão estressante?

O destaque da notícia foi o mafioso se postar de quatro e beijar os pés da noiva, duas vezes, a pedido dos fotógrafos.

No final, contudo, descobre-se a razão de tanto interesse da mídia neste sinistro matrimônio no seio do crime organizado nacional.

Assim, nos informa a Folha:

“Durante o casamento, o noivo recusou-se a falar sobre munição que afirma ter contra o PT: ‘Nada de política. Hoje, só falo de casamento. De política, só com orientação dos meus advogados’.”

É um gentleman, esse Cachoeira.

Leandro Fortes


Em tempo: a mesma intrépida reporter da Folha postou-se à porta da casa do ansioso blogueiro para saber quem ele recebia para jantar. Comovido com a vigilia inútil, o ansioso blogueiro convidou-a para um outro jantar e ela nao apareceu. Devia estar de malas prontas para Goiás. Sempre pronta para mirar no PT. PHA

(*) Clique aqui para ver como eminente colonista (**) do Globo se referiu a Ele. E aqui para ver como outra eminente colonista da GloboNews e da CBN se refere a Ele. E não é que o Noblat insiste em chamar Gilmar Mendes de Gilmar Dantas ? Aí, já não é ato falho: é perseguição, mesmo. Isso dá processo…
(**) Não tem nada a ver com cólon. São os colonistas do PiG que combateram na milícia para derrubar o presidente Lula e, depois, a presidenta Dilma. E assim se comportarão sempre que um presidente no Brasil, no mundo e na Galáxia tiver origem no trabalho e, não, no capital. O Mino Carta  costuma dizer que o Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega. É esse  pessoal aí.

A Folha se abaixou para pegar o PT – Foto de Danilo Bueno/O Hoje     
 http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/12/29/por-que-a-folha-foi-ao-casamento-do-cachoeira/

Aécio chama tropa de choque da Privataria Tucana contra queda nos juros

 
Aécio chama equipe de FHC que derrubou a economia do Brasil para a 13a. posição no mundo.
Dados do FMI: http://goo.gl/C6RVL
 
 O senador Aécio Neves (PSDB-MG) tenta tirar a vaca do brejo, no atoleiro em que o PSDB se meteu, mas quando ele está sóbrio, suas ideias são tão ou mais retrógradas do que as de José Serra (PSDB-SP).

Vendo que o discurso da ética se voltará contra o PSDB em 2013 com o julgamento do mensalão tucano, da Lista de Furnas, da "demostenização" de Alvaro Dias, Aécio quer mudar a pauta para a economia, repetindo o erro de José Serra em 2008/2009 ao apostar suas fichas na crise internacional.

Agenda Nova?

Mas começa muito mal. Ele retoma a agenda do fracasso da Privataria Tucana praticada no governo FHC, onde imperaram os banqueiros.

Encontrou-se com 3 ex-membros da equipe econômica do governo FHC, responsáveis pela quebra e decadência do Brasil nos anos 90. Se o Brasil foi mal naquela época, os 3 se deram muito bem, tornando-se banqueiros.

Malan é presidente do Conselho Consultivo Internacional do Banco Itaú. Edmar Bacha também está no Itaú BBA, no Conselho de Administração. O Banco Itaú é o campeão de demissões de bancários, mesmo tendo lucros exorbitantes, e patrocina o "Jornal da Globo". Armínio Fraga gere cerca de R$ 14 bilhões em Fundos de Investimentos na Gávea Investimentos em parceria com o banco J.P.Morgam. A empresa tem como membros do Conselho Consultivo, FHC e o CEO da Abril S.A.. Tudo "em família" do demotucanato.

Todos os 3 que Aécio procurou para "fazer sua cabeça" são ferrenhos críticos da política de redução de juros da presidenta Dilma, por motivos óbvios: é bom para o Brasil e para os brasileiros, mas é ruim para seus lucros. É a cara do PSDB de FHC, e é com essa cara que Aécio vai às urnas em 2014. É a oposição dos sonhos de Dilma e Lula.

Leia também o que disse a TV Globo em 2011:
- Willian Waack, da TV Globo, aplica conto do vigário no telespectador
 
 http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/12/aecio-chama-tropa-de-choque-da.html

Jungmann de PE, Aleluia da Bahia, Zylbertajn (ex-genro de FHC), todos aparelhados na Light por Aécio


Aécio provoca Apagão na Light, aparelhando com políticos demotucanos do racionamento

 http://www.light.com.br/web/institucional/empresa/conselho/teconselho.asp?mid=8687942772267230
Aécio arrumou uma boquinha na Light para políticos demotucanos que moram na Bahia e em Pernambuco, mesmo a empresa sendo no Rio. O ex-genro de FHC, David Zylbersztajn (PSDB-RJ), que está em todas, também está lá.

Aécio Neves (PSDB-MG), quando era governador, usou a CEMIG para comprar o controle da Light (distribuidora de eletricidade no Rio).

Aparelhou a empresa com políticos compadres do DEM, PSDB e PPS. Resultado: Privataria Tucana e APAGÃO!

Está explicado Aécio ser contra a CEMIG baixar a conta de luz.

Os demotucanos são uma mãe para banqueiros e investidores. Primeiro privatizaram a Light na bacia das almas, dizendo que a iniciativa privada iria investir na empresa. Depois do apagão do racionamento de 2001, depois de subir tarifas, depois que tiraram o lucro sem investir, Aécio Neves (PSDB-MG), quando era governador, comprou de volta o controle da empresa sucateada, ao preço que o Grupo Andrade Gutierrez quis vender.

Mas os problemas não acabaram. A empresa continua sucateada, a terceira pior entre 33 do Brasil no ranking da ANEEL. Bueiros explodiram nas ruas. Vive faltando luz em diversos bairros do Rio e, agora, até nos Aeroportos. É nisso que dá o choque de gestão demotucano. 

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/12/jungmann-de-pe-aleluia-da-bahia.html

sábado, 29 de dezembro de 2012

Crônica do Golpe Anunciado


BLOG DO SARAIVA

E o povo achando que havia isenção...


Como o Conluio entre a Mídia oposicionista e políticos da Oposição usou um bicheiro goiano para tentar derrubar o governo Lula e porque o chamado “Mensalão” é a conspiração dentro da Conspiração.
A Conspiração passa então à primeira fase de seu plano.
Um pouco antes da campanha vitoriosa de Lula à Presidência, ainda em 2002, um conhecido bicheiro goiano, Carlos Augusto Ramos , cujo apelido o tornará, nacional e internacionalmente, conhecido como Carlinhos Cachoeira, (Charlie Waterfall segundo o NY Times) grava secretamente um vídeo de uma suposta extorsão praticada pelo ex diretor da Loterj do Rio de Janeiro Waldomiro Diniz, com a suposta finalidade de arrecadar fundos para o Partido dos Trabalhadores e para o Partido Socialista Brasileiro. E nada mais. O guardião deste material, em tese tão explosivo, simplesmente o retém sem maiores consequências. Qual era então o objetivo de guardar durante dois anos este vídeo secreto ? Tratava-se sómente realmente de negócios da máfia dos bingos ? E se fosse este o caso porque os “empresários do zoo” não o divulgaram de imediato já que ficaram a ver navios sem terem seus desejos atendidos ? Como veremos depois, a ampla utilização de arapongagens estava também no horizonte mental dos conspiradores. Gravações, vídeos, etc, destinavam-se não a produzir ou servirem de prova mas simplesmente fornecerem uma sucessão de Relatórios Cohen para uso futuro.
Então, de repente, esta gravação tão zelosamente guardada durante dois anos vêm à público , em 13 de Fevereiro de 2004, através da revista Época (veículo de mídia impressa das organizações Globo). O que teria se passado para que esse material viesse tão repentinamente à lume ? E quem teria entregue esse material ? A resposta pode ser encontrada no timing político. Waldomiro Diniz havia se tornado assessor do Ministro José Dirceu. E não era um Ministério qualquer, era a Casa Civil da Presidência da República ! Os conspiradores esfregaram as mãos de contentamento. Era tudo o que a mídia oposicionista precisava para iniciar a sua ofensiva no sentido de criar o contexto da comoção popular, fase inicial do conluio com a oposição política. É o que faz a revista Época. A intenção sempre fora de municiar esta oposição com reportagens que levassem à criação de qualquer CPI no Senado ou na Câmara, para encurralar e paralisar o governo Lula. Poder-se-ia dizer que se tratava de uma nova “banda de música da UDN” com PSDB, PFL (DEM) e PPS fazendo o mesmo papel. Não se tratava de verificar fatos e responsabilidades. Buscava-se a partir daí a criação de mais e mais ilações que possibilitassem a manobra de cerco orquestrada.
E foi o que se viu. Toda a mídia oposicionista atacou em uníssono, através de seus Editoriais, colunistas, âncoras, manipulação das informações, capas com manchetes garrafais nas revistas semanais e todo o tipo de artifício jornalístico, que contribuísse para levar à paralisia do governo via Congresso. Tentava-se repetir o mesmo esquema que paralisara o governo Collor na década de oitenta. E na genêse deste movimento iremos encontrar o mesmo jornalista , Mino Pedrosa, ligado ao contraventor. O objetivo era claro. Uma vez que o governo Lula obtivera uma maioria governista, a tentativa era criar uma comoção de classe média que levasse o PMDB, que sustentava essa maioria, a deixar o governo, paralisando efetivamente a governabilidade consensual procurada pelo presidente Lula. O resultado seria o esperado impasse político. Afinal as eleições de 2006 já se deslumbravam no horizonte. Jamais a imprensa oposicionista levou em consideração que a suposta extorsão não tivera o dom de ajudar “Charlie Waterfall” em seus negócios, razão na qual Cachoeira enviou a fita ao então senador Antero Paes de Barros, que por vez enviou ao Ministério Público de Brasília, na qual os reporteres da revista Época conseguiram a cópia divulgando-a. Porém os seus depoimentos na CPI da Loterj e na CPI, não deixam isso claro. Segundo o Relatório Final da CPI “o que se pode concluir desses depoimentos é que o suposto problema com o objeto da licitação não foi a razão para a desavença entre Carlos Cachoeira e Waldomiro Diniz, e, provavelmente, não foi a razão para a gravação da fita”. Qual foi então a razão para a gravação do vídeo ? Porém isso não importava mais. No decorrer de 2005 é instalada a CPI que os conspiradores queriam. 
 
 http://saraiva13.blogspot.com.br/2012/12/cronica-do-golpe-anunciado.html

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Os 10 mandamentos da editoria “o Brasil é uma m…”


Nada funciona num Governo trabalhista. Se funcionar tem um defeito, e, aí, sempre cabe um “mas”.

 Como se sabe o jornal nacional do Gilberto Freire com “i” (*) tem várias editorias.

A mais importante, é a do “Esporte”, que, na verdade, não passa de vitrine do “Esporte” que a Globo monopoliza: o Brasileirinho, a F-1 do Bernie Ecclestone (Ah!, se a Graça Forster sabe das peraltices do Bernie) etc etc.

Tem a editoria internacional, que cobre os eventos do mundo da perspectiva do Departamento de Estado dos Estados Unidos.

(Tal qual o colonista (**) dos múltiplos chapéus, a editoria tem pavor da política externa independente do Lula e do Celso Amorim, que ele chama de “diplomacia dos atabaques”(Êpa ! Êpa !) – clique aqui para ler “Trair o Lula é o que a Casa Grande reserva à Dilma”).

Tem a editoria inspirada em Onan: trata das novelas, celebridades da Globo em circunstâncias irrelevantes, e seus heróis domésticos, como foi no lançamento do livro sobre o pai do Roberto Marinho, Irineu Marinho, que dirigiu o O Globo por três semanas e morreu.

A editoria mais importante, aquela que define o jornal nacional é a “o Brasil é uma m…”.

É a editoria que explica por que a “Globo cresce tanto no Governo Dilma”: um crescimento do volume publicitário físico, percentual e no market-share; clique aqui para votar na trepidante enquete “É o BV do Governo o que salva a Globo?”.

A editoria “o Brasil é uma m…” segue rigorosamente um decálogo que o Gilberto Freire com “i” (*) recolheu no Monte Sinai.

O Conversa Afiada teve acesso aos Mandamentos através da generosidade de alguém que se identificou como Aaron.

É assim:

Nada funciona num Governo trabalhista.

- Se funcionar tem um defeito, e, aí, sempre cabe um “mas”- clique aqui para ler “Até quando vai o boicote conservador ?”.

- É preciso destruir o Lula ! E a Dilma, a menos que ela traia o Lula.

- O Congresso não presta.

- O que presta é o Supremo, porque não precisa de voto.

- Melar qualquer eleição.

- O Fernando Henrique é o nosso Guia Espiritual.

- O Bolsa Família é a Bolsa Vagabundagem.

- O BV das empresas do Governo é nosso ! Ninguém tasca !

- Se estiver em dúvida, leia a colona (**) do Ataulfo Merval (***) para conhecer “a linha justa”.

- Ley de Medios é censura à Imprensa.


Paulo Henrique Amorim


(*) Ali Kamel, o mais poderoso diretor de jornalismo da história da Globo (o ansioso blogueiro trabalhou com os outros três), deu-se de antropólogo e sociólogo com o livro “Não somos racistas”, onde propõe que o Brasil não tem maioria negra. Por isso, aqui, é conhecido como o Gilberto Freire com ï”. Conta-se que, um dia, D. Madalena, em Apipucos, admoestou o Mestre: Gilberto, essa carta está há muito tempo em cima da tua mesa e você não abre. Não é para mim, Madalena, respondeu o Mestre, carinhosamente. É para um Gilberto Freire com “i”.

(**) Não tem nada a ver com cólon. São os colonistas do PiG que combateram na milícia para derrubar o presidente Lula e, depois, a presidenta Dilma. E assim se comportarão sempre que um presidente no Brasil, no mundo e na Galáxia tiver origem no trabalho e, não, no capital. O Mino Carta  costuma dizer que o Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega. É esse  pessoal aí.

(***) Até agora, Ataulfo de Paiva era o mais medíocre dos imortais da história da Academia Brasileira de Letras. Tão mediocre, que, ao assumir, o sucessor, José Lins do Rego, rompeu a tradição e, em lugar de exaltar as virtudes do morto, espinafrou sua notoria mediocridade.

 http://www.conversaafiada.com.br/pig/2012/12/27/os-10-mandamentos-da-editoria-%E2%80%9Co-brasil-e-uma-m-%E2%80%9D/

Genoino assume na Câmara dia 2


Chora, Gurgel, chora ! Quero ver o Henrique Alves cassar !

 Do amigo navegante João, da Revista do Brasil:

Genoino assume mandato dia 2: ‘Cumpro a Constituição, respeitando 92 mil eleitores’.

Ex-presidente do PT afirma à RBA que respeita aquilo que ajudou a construir na Constituinte, e recorda que decisão do STF sobre cassação de mandato só vale após esgotamento de recursos

São Paulo – O ex-presidente do PT José Genoino assumirá na próxima semana, provavelmente em 2 de janeiro, uma vaga na Câmara dos Deputados. Ele é suplente do deputado federal Carlinhos Almeida (PT-SP), que no dia 1° toma posse como prefeito de São José dos Campos, no interior paulista.

Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Ação Penal 470, o julgamento do mensalão, a 6 anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto, Genoino afirma que sua posse é amparada legal e constitucionalmente. “Eu lutei pela Constituição [de 1988] e ajudei a fazê-la. Fui constituinte. Cumprirei a determinação constitucional a partir do comunicado oficial”, disse à RBA. “Ao receber o comunicado da Mesa da Câmara, me apresentarei com os documentos para tomar posse, porque estarei cumprindo a Constituição e respeitando os poderes constituídos.”

Neste mês, o Supremo decidiu pela cassação dos mandatos dos deputados condenados, mas apenas depois que o caso transite em julgado, ou seja, depois que se esgotarem os recursos. A decisão, encabeçada pelo relator da Ação 470, ministro Joaquim Barbosa, abriu uma frente de atritos com o presidente da Câmara, Marco Maia, que entende que a Constituição dá apenas ao Legislativo o poder de cassação.

Para Genoino, não há impedimento de nenhuma ordem para assumir a vaga. “A aplicabilidade da decisão do STF se dá com a sentença transitada em julgado. A decisão só vale depois disso”, lembra. Ele ressalta que seus advogados continuarão trabalhando nos recursos cabíveis nos autos da ação penal.

Afirma também não temer que sua decisão pareça uma provocação, nem legal, nem politicamente. “Não, porque para não assumir eu primeiro teria de renunciar à condição de suplente. E legalmente eu não posso fazer isso, porque eu sou o primeiro suplente. Eu assumir é uma determinação constitucional e legal, e respeitando os 92.200 votos dos eleitores que tive em 2010, mesmo em plena campanha que fizeram contra mim.”

O ex-presidente petista reafirma ainda o que já disse em outras oportunidades: “Respeitarei as decisões dos poderes, concordando ou mesmo discordando delas”.

 http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/12/27/genoino-assume-na-camara-dia-2/

Rede Globlo: Mentiras e Fingimentos...

Essa Rede Globo...

A Rede Globo nos proporcionou mais um festival de mentiras e fingimentos durante o show de final de ano de Roberto Carlos. Captado pela esposa de um amigo meu (Joelson Feliciano), apenas editei o vídeo e coloquei as devidas observações... Essa Rede Globo não tem jeito!!!! E ainda tem quem acredite nela.... O Rodrigo Lombardi??? Ele é ator e está sendo pago para isso!!!!

 http://www.ocachete.org/2012/12/rede-globo-mentiras-e-fingimentos.html

2013, o ano do golpe

  



Antes que 2012 termine, há que refletir sobre o que boa parte da opinião pública – a parte que não embarca na politicagem da oposição demo-tucano-midiática – já intui e comenta, que 2013 baterá o recorde de todos os anos anteriores do pós-redemocratização em termos da infatigável guerra da oposição midiática contra o governo federal e o partido de sua titular.
E a primeiríssima reflexão é a de que, hoje, é muito menor o contingente que tenta desqualificar sem discussão a premissa golpista em um país de tão larga tradição nessa prática compulsiva de uma elite que luta ferozmente para manter privilégios que fizeram do Brasil o país virtualmente mais injusto do mundo – pois os mais injustos são países paupérrimos da África.
Há menos de um ano, quando se falava em golpe diziam que não havia “clima” para tanto, que seria paranóia etc. Hoje, o discurso persiste inclusive entre setores que se dizem “de esquerda”. Todavia, aumentaram exponencialmente os que enxergam o esforço golpista, que se traduziria em mais uma tentativa de golpe “institucional” na América Latina
As recentes experiências golpistas hondurenha e paraguaia, como se sabe, sucederam a tentativa venezuelana lá em 2002, desfechada sem sucesso, ao contrário das duas que sobrevieram e que vingaram, fazendo salivar aqueles que, ao longo do século XX, espalharam quarteladas golpistas pela região.
Recentemente, li no Twitter um desses militantes da mídia disfarçados de “esquerdista” que, ironizando um texto meu, perguntava como seria possível um golpe sem censura a jornais. Espantoso, não é mesmo? A gente fica sem saber se é ignorância histórica ou má fé, pois é difícil achar alguém minimamente escolarizado que não saiba o papel da imprensa no golpismo nacional do século XX.
Mas vamos em frente. A segunda questão é a da razão para os flertes com o novo modelo de golpe, o modelo “institucional” com o qual se pretende tirar do cenário político candidatos de esquerda com alta aprovação e expressivo eleitorado como Manoel Zelaya, Fernando Lugo e Hugo Chávez.
Não me parece polêmico afirmar que a oposição tem cada vez menos perspectivas de retomar o poder em 2014. Recentes pesquisas de opinião dos institutos Datafolha e Ibope revelaram que o PT não tem um, mas dois candidatos em condições de se eleger em primeiro turno. E que a oposição conta com nomes cujo desempenho é fraquíssimo.
As razões para esse favoritismo do PT para as eleições de 2014 deveriam ser claras para todos, mas o fato é que a mídia, a oposição e a militância oposicionista-midiática parecem que acabam acreditando naquilo que inventam e difundem como fatos, mas que não passa de distorções, invenções e desejos.
Há, pois, que entrar no terceiro tópico, o das armas que cada lado tem para enfrentar a contenda que se avizinha, a de 2013, que só perderá em virulência para a de 2014.
Do lado da oposição midiática, o armamento é farto, diversificado, sofisticado e multibilionário. Apesar da oposição formal (partidária) exangue, sem votos, sem propostas e que vai encolhendo a cada eleição, há os grandes impérios empresariais, com destaque para os de comunicação – pelo protagonismo e pelo poder –, e os não menos importantes tentáculos do Judiciário e do Ministério Público.
Mas não é só. A CPI do Cachoeira revelou que a base aliada do governo Dilma é infinitamente menor do que parece, pois o PMDB, o PSB e os pequenos partidos de direita que a compõem já se revelaram inconfiáveis, chegando a atuar em consonância com a oposição partidária, a mídia e os braços destes no Judiciário e no MP.
Como para manter a base aliada é preciso fazer concessões para não incomodá-la, a possibilidade de reação do governo e do partido de sua titular se reduz drasticamente, como ficou claro, mais uma vez, na CPI do Cachoeira, quando o fato de muitos peemedebistas serem donos de veículos de mídia blindou a Veja naquela Comissão.
Os acordos escancarados entre a oposição formal e o PMDB foram ainda mais longe, chegando a blindar, também, aquele que, com base em uma fartura impressionante de provas materiais e testemunhais, pode ser considerado o segundo homem do esquema criminoso goiano, que atingiu a marca do bilhão de reais, fazendo os valores do mensalão “petista” parecerem gorjeta. A impunidade de Marconi Perillo, assim, mostra quão poderosa é a coalizão golpista.
O que, então, resta de armas ao governo Dilma e ao PT? Apesar de menos rápidas e ruidosas, as armas desse lado não são desprezíveis. E a “caneta” é a principal. Desta, decorrem o que uma perspicaz leitora com a qual conversei por telefone dia desses chamou de “pacotes de bondades”, dos quais decorre a popularidade estratosférica de Lula, Dilma e PT.
Mas tudo vem do fato de que esses atores governam o país, tendo como produzir políticas públicas que fazem com que o eleitor reflita que não dá para trocar o certo pelo duvidoso com base em discursos moralistas entoados por aqueles que não têm a menor condição para fazê-los e em discursos sobre a economia que se chocam com a realidade econômica da sociedade.
A “caneta” do governo petista reduziu os juros de forma inédita no país, aumentou os salários, praticamente extinguiu o desemprego, fez disparar o crédito ao consumidor e, ainda que em ritmo infinitamente menor, fez cair, de forma inédita, a concentração de renda.
Já foi amplamente explicado, nesta página, que a estratégia da direita midiática faz todo sentido do mundo, pois simplesmente não tem o que oferecer. As políticas sociais petistas como, por exemplo, o Bolsa Família e as cotas nas universidades públicas vão se impondo contra os discursos que tentavam desqualificá-las perante a sociedade.
O Bolsa Família, há tempos que só vem sendo criticado pelos militantes da oposição midiática, pois os políticos oposicionistas não têm coragem para atacar um programa tão popular. E agora são as cotas, às quais até o governo tucano de São Paulo vai se rendendo, mesmo que com reticências contra as cotas raciais. Mas está sendo quebrado o paradigma.
Contudo, se o PSDB, o DEM e o PPS fossem vistos como partidos com credibilidade para investirem no social, não estariam fora do poder. Esses partidos, com os discursos virulentos de outrora contra políticas sociais petistas e contra o modelo de desenvolvimento e gestão econômica vigentes, carimbaram-se, ao lado da mídia, como agentes dos ricos.
Eis que chegamos à inviabilidade da disputa político-eleitoral como forma de a oposição midiática retomar o poder. Teria que haver uma hecatombe econômica no Brasil, com forte queda de renda e com expressivo aumento do desemprego e da desigualdade para que vicejasse um desejo da maioria por mudança.
Mudança só é desejada quando se está mal-acomodado, e não haverá discurso sobre “pibinho” ou “corrupção” que faça a sociedade achar que a sua vida vai mal justamente quando mais e mais pessoas vão sendo incluídas no mercado de consumo de massas e no mercado formal de trabalho.
Não que não haja desejo de mudança. Há e até ficou muito claro em 2012, com o impressionante desempenho do PT nas eleições ao vencer no maior colégio eleitoral do país, São Paulo, capital que, até há alguns meses, era considerada a mais sólida fortaleza oposicionista. Só que é um desejo de mudança em favor do PT em vez de ser contra.
Com a resiliência do potencial eleitoral do PT e com a ausência de perspectivas e de discurso da oposição, basta a menor reflexão para concluir que esses poderes que anseiam pela retomada do poder para pôr fim, sobretudo, à distribuição de renda em curso, não se conformarão em ficar mais quatro anos fora do poder, a partir de 2014.
O golpe “institucional” à brasileira, pois, já está desenhado. Lula, o “odiado” (pela direita microscópica e midiática) dificilmente deixará de ser denunciado por iniciativa da mesma Procuradoria Geral da República que dispõe, também, da prerrogativa de denunciar presidentes da República.
Roberto Gurgel, o atual procurador-geral, pertence ao mesmo grupo político – sim, o Ministério Público tem correntes políticas muito bem definidas – do antecessor, Antonio Fernando de Souza, autor da denúncia do mensalão “petista”. E ficará mais sete meses no cargo. Uma eternidade, em termos de tempo para tentar inviabilizar Lula e Dilma como candidatos potenciais à sucessão desta.
Quanto ao STF, ainda restam a Dilma duas indicações – uma para a vaga do recém-aposentado Carlos Ayres Brito e outra que decorrerá da aposentadoria precoce do ministro Celso de Mello.
Na hipótese de que o recém-nomeado Teori Zavascki se revele um legalista como Ricardo Lewandovski, com José Antonio Dias Tófoli e com duas novas indicações racionais por Dilma, seriam cinco ministros que, ao menos em tese, barrariam o golpismo naquela Corte em meio a um total de onze.
As ministras Carmem Lúcia e Rosa Weber dão esperança de comedimento ainda que tenham se acovardado durante o julgamento do mensalão, mas só no que tange ao núcleo político daquela ação penal, núcleo esse que a mídia deixou muito claro que não aceitaria que não fosse condenado. Assim, o jogo ficaria equilibrado.
Todavia, também no STF ainda restam vários meses de sobrevida ao núcleo golpista, pois as novas nomeações para aquela Corte sempre demoram a se concretizar.
Não chega, portanto, nem ao final de 2013 o prazo para a direita midiática desfechar seu golpe “institucional”, limitando ao ano que entra o prazo máximo para impedir que os candidatos do PT à sucessão de Dilma dêem uma nova surra eleitoral na oposição demo-tucana, o que obrigará o modelo nacional de golpe a se aproximar do modelo-relâmpago do Paraguai.

 http://www.blogdacidadania.com.br/2012/12/2013-o-ano-do-golpe/

Empresário do 'mensalão' nos Correios e no caso Valec aparece nos R$ 16 milhões do Alvaro Dias



Agora a casa do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) caiu, e com um empurrãozinho da própria revista Veja (sem querer).

O senador é réu em um processo judicial de disputa patrimonial, movido por uma filha, reconhecida através de exames de DNA. O processo poderia ser apenas mais um entre tantos, sem maior interesse público, não fosse o valor de R$ 16 milhões em causa, pois o senador tucano declarou à Justiça Eleitoral (e ao eleitor) ter um patrimônio de R$ 1,9 milhão, na última eleição que disputou. O aparecimento desta súbita fortuna causou perplexidade à nação brasileira, que pergunta: como o senador, da noite para o dia, aparece como um dos parlamentares mais ricos do Brasil?

Detalhe: o processo não está em segredo de justiça, ao contrário do que disse o senador em seu twitter, e não é uma mera disputa familiar. É uma disputa patrimonial graúda envolvendo mais 10 réus ao lado de Alvaro Dias, e quatro deles são pessoas jurídicas.

Uma das empresas ré na causa é a "AGP Administração, Participação e Investimentos Ltda.", de Alexandre George Pantazis, indicando que Alvaro Dias teve algum tipo de negócio com esta empresa envolvendo os R$ 16 milhões em questão.

Alexandre Pantazis é dono da empresa Dismaf - Distribuidora de Manufaturados Ltda. junto com seu irmão Basile, que era tesoureiro do PTB-DF.

A Dismaf foi objeto de uma reportagem da revista Veja (pág. 64, edição 2212 de 13/04/2011), acusando  a empresa de pagar propinas ao PTB sobre contratos nos Correios, no caso que deu origem ao "mensalão" a partir da gravação feita por um araponga de Carlinhos Cachoeira, que levou Roberto Jefferson a dar a entrevista em 2005. A reportagem foi baseado na denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal. Declarada inidônea pelos Correios, a empresa não podia participar de licitações, mas ganhou uma na Valec (que constrói a ferrovia norte-sul) para fornecer trilhos. O fato foi alvo de auditoria na CGU e foi um dos motivos para demissão do ex-presidente da Valec, o Juquinha.

Só uma investigação sobre os contratos e quebra de sigilo bancário poderá esclarecer o real envolvimento do senador tucano com o dono da Dismaf, .

Agora o que vai acontecer? O Alvaro Dias e seus negócios com um dono da Dismaf será capa da próxima revista Veja?

 http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/12/empresario-do-mensalao-nos-correios-e.html

Fernando Branquinho: JN transforma 1,7 milhão de empregos em notícia ruim



TV manipula notícia sobre criação de empregos

por Fernando Branquinho, no Observatório da Imprensa em 24/12/2012 na edição 726

Na quarta-feira (19/12), no Jornal Nacional, o gráfico atrás da apresentadora Patrícia Poeta mostrava a criação de 1,77 milhão de empregos até agora, em 2012. Considerada a pindaíba econômica do mundo ocidental, qualquer cidadão de outro país olharia com inveja para cá. Mas na Globo não é assim: toda notícia que venha do governo tem que ser “negativada”.
Foi o que fizeram. Este foi o texto lido pela apresentadora:
“A criação de empregos com carteira assinada, este ano, foi 23% menor do que em 2011. É o pior resultado desde 2009. Mas, isoladamente, os números de novembro mostram um aumento de quase 8% no emprego formal.”
Quem estivesse jantando nessa hora sem olhar para a TV não veria o gráfico e faria juízo sobre a informação apenas com o que estivesse ouvindo. Desta vez mudaram a técnica: deram a notícia positiva de forma negativa, e no fim veio o “mas” positivando parcialmente os fatos. Isso é democracia, liberdade de expressão e tudo o mais que eles dizem quando se quer acabar com o oligopólio da mídia? O nome disso é partidarismo de mídia através de manipulação da notícia.
Paranoia? Perseguição à Globo? Coisa de esquerdista, de petista, de lulista, brizolista? Confira aqui mais essa vergonha. Agora veja a notícia por outro ângulo: “Brasil cria 1,77 milhão de empregos com carteira assinada em 2012”.

Os dados do Caged 

De janeiro a novembro deste ano, foram abertos 1.771.576 postos de trabalho com carteira assinada no Brasil, o que representa uma expansão de 4,67% no nível de emprego comparado com o final de 2011, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na quarta-feira (19/12) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
Os dados de novembro, segundo o MTE, mostram continuidade à tendência de crescimento do emprego no Brasil, que registrou pela terceira vez em 2012 um saldo superior ao do ano anterior. Foram declaradas 1.624.306 admissões e 1.578.211 desligamentos no referido mês. Como resultado, o saldo do mês foi de 46.095 novos empregos com carteira assinada no Brasil, correspondentes ao crescimento de 0,12% em relação ao registrado no mês anterior.
Segundo o Caged, apresentaram desempenho positivo no mês o comércio, com 109.617 postos (1,27%), sendo o terceiro melhor saldo para o período; e serviços, com 41.538 postos (0,26%). Por outro lado, alguns setores apresentaram desempenhos negativos. A construção civil teve baixa de 41.567 postos (-1,34%), decorrente de atividades relacionadas à construção de edifícios (-15.577 postos) e construção de rodovias e ferrovias (-8.803 postos), associados a términos de contratos e a condições climáticas.

Complexo sucroalcooleiro puxa emprego para baixo

Na agricultura, houve retração de 32.733 postos (-1,98%), devido à presença de fatores sazonais negativos. A indústria de transformação teve perda de 26.110 postos (-0,31%), proveniente dos ajustes da demanda das festas do fim do ano, queda menor que a ocorrida em novembro de 2011 (-54.306 postos ou -0,65%).
O emprego cresceu em três das cinco grandes regiões, sendo a Sul, com 29.562 postos (0,41%); Sudeste, com 17.946 vagas (0,08%), e Nordeste, com 17.067 empregos (0,28%). As exceções ficaram por conta da região Centro-Oeste (-14.820 postos ou -0,50%), cuja redução deu-se ao desempenho negativo da agricultura (-9.130 postos); da construção civil (-6.393 postos) e da indústria de transformação (-5.929 postos); e da região Norte (- 3.660 postos ou -0,21%), onde a construção civil (-3.371 postos) e a indústria e transformação (-2.084 postos) foram os principais setores responsáveis pela queda no mês.
Por unidade da federação, dezesseis tiveram expansão do emprego. Os destaques foram Rio Grande do Sul (+15.759 postos ou 0,61%); Rio de Janeiro (+13.233 postos ou 0,36%); Santa Catarina: (+8.046 postos ou 0,42%); São Paulo (+7.203 postos ou 0,06%); Paraná (+5.757 postos ou 0,22%) e Bahia (+5.695 postos ou 0,34%). Os estados que demonstraram as maiores quedas no nível de emprego foram: Goiás (-8.649 postos ou -0,75%), devido, principalmente, às atividades relacionadas ao complexo sucroalcooleiro, e Mato Grosso (-5.910 postos ou -0,97%), por causa do desempenho negativo do setor agrícola (-4.798 postos) [ver aqui].
Fernando Branquinho é jornalista, Brasília, DF.

 http://www.viomundo.com.br/denuncias/fernando-branquinho-jn-transforma-17-milhao-de-empregos-em-noticia-ruim.html

Joaquim Barbosa tem título de cidadão baiano recusado por deputados

 APOSENTADO INVOCADO
 
 
A Tarde 
SALVADOR – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa teve a concessão do título de cidadão baiano recusado na última sessão da Assembleia Legislativa da Bahia, que votou a Lei Orçamentária do Estado e um empréstimo de R$ 1,1 bilhão para o governo baiano, na quarta-feira à noite.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/joaquim-barbosa-tem-titulo-de-cidadao-baiano-recusado-por-deputados-7146525#ixzz2GIWZUPjQ

  http://aposentadoinvocado1.blogspot.com.br/2012/12/joaquim-barbosa-tem-titulo-de-cidadao.html

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Povo confia mais em Dilma que no STF, na mídia ou Congresso, diz Ibope.

Pesquisa do Ibope divulgada ontem mostra que praticamente a metade dos brasileiros não confia no Supremo Tribunal Federal (STF), e 65% não depositam confiança no trabalho do Congresso. Os dois poderes envolvidos em um bate-boca político neste fim de ano mostram-se menos confiáveis aos olhos da populaçao que a presidenta Dilma Rousseff, que em pesquisa divulgada no começo de dezembro obteve taxa de 73%. Segundo dados publicados pelo jornal O Estado de S Paulo, o índice de 54% obtido pelo STF fica bem abaixo da instituição mais confiável, o Corpo de Bombeiros, com 83%, e está 9 pontos atrás da Presidência da República como um todo, que tem a confiança de 63% dos entrevistados.

http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/12/povo-confia-mais-em-dilma-que-no-stf-na.html

Globo exibe reprise de show de Roberto Carlos e ninguém percebe

 
 
Um erro do operador de plantão provocou uma situação inédita na TV brasileira. Pela primeira vez uma emissora exibiu uma reprise, mas ninguém percebeu. O show de Roberto Carlos que passou ontem foi o mesmo do ano passado. Roberto abriu cantando emoções, usando o mesmo cabelo, a mesma cor e o estúdio tinha a mesma iluminação. As músicas foram as mesmas. Só os mais atentos repararam que o show era o mesmo.
Agora começa a circular nas redes sociais um boato de que na verdade só existiu um único show de Roberto Carlos, que vem sendo reexibido exaustivamente desde então, sempre na época de Natal. A história ganhou força por causa de uma idosa que se reconheceu na platéia. “Na época que eu fui a esse show eu era adolescente”, disse ela.
 
http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/12/globo-exibe-reprise-de-show-de-roberto.html

Dinheiro público de São Paulo vai direto para o esgoto Leia mais em: Blog Sujo Under Creative Commons License: Attribution

 
 
Pensões de até R$ 18,7 mil por mês do Legislativo paulista beneficiam políticos como Alberto Goldman e Plínio de Arruda Sampaio, ex-ministros como Alberto Goldman e Almir Pazzianoto, o presidente da CBF José Maria Marín e até a viúva do ex-governador Mário Covas, Dona Lila; benefícios custam R$ 33 milhões/ano ao governo paulista.

A Lei de Acesso à Informação permitiu que o jornal Estado de S. Paulo abrisse uma caixa-preta da política brasileira: o destino do montante gasto pela Assembleia Legislativa de São Paulo com pensões vitalícias – o que custa R$ 33 milhões por ano ao governo paulista. Essas pensões beneficiam quem contribuiu com a carteira previdenciária dos ex-deputados paulistas, instituída em 1976 e extinta em 1991.
Os ganhos mensais vitalícios não são nada desprezíveis. Variam de R$ 10.021 a R$ 18.725 e serão reajustados, no teto, para R$ 20.042. Os dois ex-ministros que recebem o benefício são Almir Pazzianoto, que foi do Trabalho, no governo Sarney, e Wagner Rossi, ex-Agricultura, com Lula e Dilma.
Ambos são ex-deputados, assim como Alberto Goldman, ex-governador de São Paulo e ex-presidente do PSDB, que também recebe um extra de R$ 12.025 mensais. "Nem discuto essa questão", afirma. Outro ex-parlamentar beneficiado com a aposentadoria pública é José Maria Marín, que recebe R$ 16.033 da Assembleia, além dos R$ 160 mil mensais na CBF e dos outros R$ 110 mil no Comitê Organizador da Copa.
A farra da Assembleia beneficia também políticos que jamais foram deputados estaduais. É o caso, por exemplo, de Plínio de Arruda Sampaio, que justifica o ganho de R$ 10.021 por mês como custeio por sua "militância política". Também recebe a pensão Dona Lila Covas, que foi casada com o ex-governador Mario Covas, outro político que jamais foi deputado estadual.

http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/12/dinheiro-publico-de-sao-paulo-vai.html

Energia eólica se torna competitiva e produção dispara





Por Assis Ribeiro
Força dos ventos
Autor(es): ROBERTA MACHADO
Correio Braziliense - 24/12/2012 

Energia eólica se torna competitiva e produção dispara no Brasil. A expectativa é que a capacidade instalada no país cresça 250% até 2014. O Correio inicia hoje série de quatro reportagens sobre as novidades que prometem tornar o consumo energético mais sustentável
Os recursos naturais do Brasil sempre ofereceram um variado leque de opções para a geração de energia elétrica, mas somente agora empresários e governo começam a abrir os olhos para essa realidade. O país já pode dizer que 84% de sua geração de energia vêm de fontes limpas, mas a hidrelétrica ainda é responsável por 72% da capacidade instalada. Aos poucos, outras forças naturais começam a encontrar espaço nesse mosaico, que depende da variedade para ser realmente sustentável. Entre elas, a força dos ventos merece destaque: a fonte eólica já conquistou o posto de segunda fonte de energia mais barata do país, e deve aumentar sua fatia no país de 1% para 6% nos próximos três anos. Até 2014, a capacidade instalada deve crescer de 2GW para 7GW.
"A fonte para sustentar o crescimento brasileiro é a hidrelétrica, mas em segundo lugar  vem a eólica", avalia o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim. O potencial eólico do país, aponta ele, chega a 143 mil megawatts, o equivalente a 10 usinas de Itaipu. "Esse potencial está subestimado, pois foi emitido com base em torres de 50m de altura. Hoje, os aerogeradores são muito mais altos", ressalta.
Há menos de uma década no mercado de energia eólica, o Brasil já está entre as quatro nações que mais crescem no setor, atrás de China, Estados Unidos e Índia. Até o ano que vem, espera-se que o país salte da 20ª para a 10ª posição mundial no aproveitamento dessa energia. "A tecnologia é recente, e os investimentos no Brasil são mais recentes ainda, vieram a partir de 2004", explica Elbia Melo, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica). Desde então, aponta a especialista, o preço da energia retirada do vento caiu para menos de um terço. "A energia eólica perdeu o status de fonte alternativa subsidiada e passou a ser competitiva."
Novos ares
Existem mais de 30 mil turbinas eólicas de grande porte em operação no mundo, e muitos desses empreendimentos surpreendem pelo tamanho e pela capacidade. Em outubro, a Siemens Energy inaugurou uma torre marítima com as maiores pás já feitas. De fibra de vidro, cada uma mede 75m. É como se três prédios de 25 andares girassem no ar presos a um motor. O monstro eólico pode produzir até 6MW de energia limpa, o equivalente ao consumo de 6 mil residências. A eletricidade é levada para uma subestação em alto-mar que, por sua vez, a transmite para a terra.
Ligando um gerador com ímãs diretamente ao eixo, o modelo precisa de apenas metade das peças usadas tradicionalmente e dispensa manutenção, pois possui um sistema de monitoramento automático. As pontas das pás também foram adaptadas para diminuir a resistência do ar e os níveis de barulho. "Nossa nova turbina incorpora o conhecimento agregado de engenharia acumulado nas últimas três décadas", resume Henrik Stiesdal, CTO da divisão eólica da Siemens.
Mesmo em dimensões mais modestas, pesquisadores também renovam o modelo das turbinas cata-vento, inspirado no seculares moinhos europeus. Alguns investem na mudança total de paradigma e defendem as turbinas verticais. Similares a hélices espiraladas, elas são mais compactas e podem se complementar para girarem mais rápido. Outros, ainda, sugerem novos materiais. Enquanto as pás mais avançadas são feitas de peças inteiriças de fibra de vidro, há casos como o de uma empresa alemã que criou uma turbina inteiramente feita de madeira. O material sustentável dispensa a prejudicial fabricação de aço, e ainda pode ser reciclado.
No campo de inovações, o Brasil se destaca em iniciativas como a de um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que estuda o uso de novos tipos de controladores de potência para as turbinas eólicas. "O vento é variável, então a velocidade que ele coloca no eixo da turbina também varia, e não é compatível com a frequência que a gente quer na rede elétrica. Você precisa condicionar essa velocidade para que o gerador gere uma energia na frequência da rede elétrica, de 60Hz", explica Ernesto Ruppert Filho, professor da Unicamp. De acordo com o especialista, essa dificuldade de conversão foi um dos motivos para o atraso na popularização da energia eólica, e o trabalho pioneiro brasileiro pode diminuir o número de equipamentos necessários à instalação e economizar ainda mais recursos.

 http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/energia-eolica-se-torna-competitiva-e-producao-dispara

Charge online - Bessinha - # 1625




http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/12/charge-online-bessinha-1625.html

Mais um erro formal do PSDB:Dias reconhece não ter sido 100% transparente

O TERROR DO NORDESTE 

 
Como é sabido, tucano não rouba, apenas comete erro formal. Àvaro Dias, devedor contumaz de pensão alimentícia, segue a risca o lema dos tucanos corruptos.
  
Paraná 247 - Em novas tentativas de se explicar sobre denúncias que envolvem seu patrimônio, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) deu como "assunto encerrado" a acusação de que não declarou R$ 6 milhões à Justiça Eleitoral. Pelo Twitter, o líder tucano escreveu que "todo centavo" que possui está declarado à Receita Federal e que cumpre todas as suas obrigações. "É só conferir", desafiou o parlamentar.

Ao ser cobrado por suas declarações ao Tribunal Superior Eleitoral, em conversa direta com um usuário, Dias respondeu que "o TSE determina a declaração de bens e nao de 'direitos'. Aplicações financeiras sao dispensadas" e que, por isso, afirmou, a "receita é melhor fonte". O internauta rebateu que, mesmo assim, "por questão voluntária não é impedida a declaração de direitos", o que incluiriam suas aplicações.

Pela primeira vez, então, o tucano admitiu não ter sido tão transparente como cobra diuturnamente o governo no Congresso - ele foi à Procuradoria Geral da República pedir investigação contra o ex-presidente Lula e defendeu a abertura de uma CPI da Rosemary - e revelou que não fez a declaração na última eleição por ter delegado o trabalho a um contador. "E o farei na próxima eleição. Não o fiz na passada porque transferi a missão ao contador e ele fez o que pede a lei", escreveu o parlamentar.

Em 2006, quando se elegeu senador, Dias declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 1,9 milhão. Reportagem da revista Época de 2009, no entanto, revela que o tucano possuía R$ 6 milhões aplicados e que não haviam sido declarados. Neste final de semana, o colunista Claudio Humberto, do jornal O Globo, noticiou que uma filha não reconhecida do senador exige na Justiça R$ 16 milhões - quantia em que são avaliadas cinco casas suas em Brasília.

Origem da fortuna

Nesta terça-feira, o senador publicou mais cedo, em seu blog, um post que explica a origem de seu dinheiro, numa homenagem feita a seu pai, que reuniu a riqueza da família. Sobre o processo da filha - cujos R$ 16 milhões exigidos pode aparecer com a declaração de Dias ao TSE na próxima eleição - ele não fez nenhum comentário, respondendo sempre que o processo corre em segredo de Justiça e que falar sobre o assunto pode ferir os envolvidos.
 
 http://wwwterrordonordeste.blogspot.com.br/2012/12/dias-reconhece-nao-ter-sido-100.html

O Aposentado Invocado pergunta: Alguém acredita que Augusto Nunes e a revista Veja estejam torcendo por um sucesso das Copas 2013 e 2014?

 

 

Para 76%, há corrupção em obras da Copa, diz Datafolha. Começou a sabotagem da Copa 2014 e isso é só o começo. Notícias elogiosas, mostrando os estádios a empolgação da torcida, podem esquecer. 2013 dá início o golpe de Estado da Corrupta e tudo é válido para destruir Dilma. Espionagem e contra-espionagem do governo sobre esses inimigos é fundamental. Presidenta, a imprensa brasileira é inimiga mortal. 

 

 http://aposentadoinvocado1.blogspot.com.br/2012/12/para-76-ha-corrupcao-em-obras-da-copa.html

Polícia chuíça indignada com central de grampos



Quem plantou a central: Cerra ou Alckmin ? Quem foi grampeado ?


Saiu no Globo, na pág. 13, artigo de Marilda Pansonato Pinheiro, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, de título “Estranho silêncio sobra as escutas ilegais”

“Um coronel da PM paulista grampeava 500 linhas telefônicas sob o argumento de combater o crime autorizado”

“Quem autorizou ?”

Ela pergunta também: e por que a grampolândia não interceptou os “salve” do PCC que culminaram na morte de 90 policiais ?

Por fim,

“… o que está sendo feito com um material obtido possivelmente de forma ilicita com personagens idôneas e inidôneas, num ‘balaio’ onde tudo se mistura.”

Viva a Chuíça (*) !

Clique aqui para ler o que o Conversa Afiada já publicou sobre essa central de grampos, de que o Azenha e ele próprio possivelmente foram vítimas, quando perguntou: Cerra ou Ackmin ?

(Segundo o Globo, pág. 5, “SP registra 21ª chacina do ano, com quatro mortos. Vítimas estavam numa padaria e não tinham passagem pela polícia; em novembro, número de homicídios chegou a 170.”

Quem é o poste que o Lula vai mandar ao Bandeirantes em 2014 ?

(Por isso a Casa Grande está tão aflita …)


Paulo Henrique Amorim


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

  http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/12/25/policia-chuica-indignada-com-central-de-grampos/

Álvarogate:o silêncio do PiG

 O TERROR DO NORDESTE 



Curioso que o PiG( Folha, Uol, IG, Terra, o Estadão, a Veja, a Época, Correio Brasiliense, JB O Globo) é  tão rápido quando é para publicar matéria contra Dilma, Lula e o PT não escreveu uma linha sobre a fortuna de Álvaro Velhaco Dias nem tampouco sobre a ação movida contra ele pela filha com o fim de receber R$ 16 milhões de pensão alimentícia atrasada.E ainda tem idiota que acredita que o PiG é refém da verdade.

 http://wwwterrordonordeste.blogspot.com.br/2012/12/alvarogateo-silencio-do-pig.html

Oposição vai pedir o impeachment de Fux ?


Informa o Estadão que líderes do Governo, como Eduardo Braga e Walter Pinheiro, se calaram diante da notícia. E Fux também.


Saiu no Estadão:

Oposição questiona Fux e Carvalho por conversa


A oposição quer explicações do secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, sobre uma conversa dele com o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux. Antes de ser indicado à Corte, Fux teria procurado Carvalho e afirmado que o processo do mensalão “não tinha prova nenhuma” e que “tomaria uma posição muito clara” durante o julgamento.
“É um fato gravíssimo. Primeiro porque é um ministro antecipando seu voto em um julgamento. Segundo, porque dá a entender que o Fux só foi indicado (ao STF) porque havia se posicionado daquela maneira”, afirmou o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO). A declaração de Carvalho foi dada em entrevista ao programa É Notícia, exibido na noite de anteontem pela Rede TV.


A oposição, segundo o Estadão, também chama Fux às falas.

Informa o Estadão que líderes do Governo, como Eduardo Braga e Walter Pinheiro, se calaram diante da notícia.

E Fux também.

Não deixe de ler “Senado vai votar impeachment de Fux ?”.

A propósito:

Franca Alencar

Caro PHA,

O processo de usurpação de poder pelo judiciário e a criminalização da política poderia ser estancado se o presidente do senado José Sarney partisse em defesa da democracia criticando o voto de Celso de Mello (lembrando que foi o Sarney que o indicou ao supremo) e fazendo a defesa da Câmara – melhor ainda se desse início e levasse a cabo o impeachment de Celso de Melo (não de Fux) conforme a constituição prever, seria uma ótima maneira de lembrar quem de fato tem a ultima palavra sobre mandatos. Por covardia ou sensatez toda essa crise se diluiria rapidamente, as penas e condenações do mensalão seriam avaliadas de forma mais sensata na próxima fase do julgamento e democracia sairia fortalecida! Agora…. quem vai falar com o Sarney ? kd a Dilma ?

Diário do Centro do Mundo elege 'rola-bosta' como a palavra do ano

O TERROR DO NORDESTE


Prefiro chamar Reinaldo Azededo de piolho-de-cu.
 
A expressão 'rola bosta', citada pelo pensador Leonardo Boff para descreveu o colunista de Veja Reinaldo Azevedo, foi eleita como a palavra do ano pelo blog Diário do Centro do Mundo, do jornalista e ex-diretor da Editora Abril Paulo Nogueira.
 
O artigo de Boff, reproduzido pelo 247, teve a intenção de defender o arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, que para Reinaldo, era "metade gênio e metade idiota". Para Paulo Nogueira, a expressão "simplesmente pegou, porque é leve, divertida e, não obstante, incisiva" num debate político.
 
Para Boff, Reinaldo se assemelha a um escaravelho, popularmente chamado de besouro rola-bosta, "que vive dos excrementos de animais herbívoros, fazendo rolinhos deles com os quais, em sua toca, se alimenta". Boff diz que "algo semelhante fez o blog de Azevedo na VEJA online: foi buscar excrementos de 60 e 70 anos atrás" para atacar o artista brasileiro.
 
Leia aqui o artigo de Boff e abaixo o post do blog Diário do Centro do Mundo:
 
Por que rola bosta é a palavra do ano no dicionário político brasileiro
 
Não gosto de palavreado ofensivo em debate. Empobrece-o, na minha opinião.
 
Já escrevi no Diário minha baixa opinião sobre as expressões "petralha" e "PIG". Remetem a discussões de arquibancadas, nas quais há excesso de calor e falta de lógica racional.
 
Dito isso, faço aqui o elogio de uma palavra que, no debate político que se trava no Brasil, simplesmente pegou, porque é leve, divertida e, não obstante, incisiva. É uma bofetada, e não um tiro. Daí o poder, daí o encanto.
 
É, para mim, a palavra do ano no Dicionário Político Brasileiro: rola-bosta.
 
Quem a trouxe foi Leonardo Boff para rebater um artigo de Reinaldo Azevedo que chamava Niemeyer de metade idiota por ser de esquerda.
 
Escreveu Boff:
 
A figura que me ocorre deste articulista (...) é a do escaravelho, popularmente chamado de rola-bosta. O escaravelho é um besouro que vive dos excrementos de animais herbívoros, fazendo rolinhos deles com os quais, em sua toca, se alimenta. Pois algo semelhante fez o blog de Azevedo na VEJA online: foi buscar excrementos de 60 e 70 anos atrás, deslocou-os de seu contexto (...) e lançou-os contra Oscar Niemeyer. Ele o faz com naturalidade e prazer, pois, é o meio no qual vive e se realimenta continuamente.
 
Na internet, rola-bosta virou mania, para designar colunistas de direita.
 
Agora mesmo, se você vai ao twitter, vai vê-la aplicada a Ferreita Gullar e a Augusto Nunes. A Gullar porque defendeu a candidatura de Joaquim Barbosa à presidência. A Nunes porque arrolou – numa lista de caráter ético duvidoso, pois num regime como o que o Brasil teve por tantos anos a partir de 1964 poderia levar à perseguição – Luís Fernando Veríssimo como "apoiador de Lula" na categoria do jornalismo "esgotosférico".
 
Não sou quem vai defender Veríssimo. Sua obra e sua biografia defendem-no melhor que ninguém.
 
Mas é curioso comparar "rola-bosta" e "esgotosférico". Esgotosférico não vai pegar: é grosseiro, de mau gosto, vulgar. É falsamente engraçado, é falsamente espirituoso, é falsamente criativo.
 
Rola-bosta pegou porque é o oposto disso.
 
No futuro, é possível que jovens descendentes de jornalistas como Merval Pereira e Ricardo Noblat perguntem a seus pais: "Por que estão dizendo na escola que sou bisneto de rola-bosta?"
 
Com informações de 247
 
 
 http://wwwterrordonordeste.blogspot.com.br/2012/12/diario-do-centro-do-mundo-elege-rola.html

Globo cresce no Governo Dilma



O Brasil inteiro disputa a migalha que não vai para os filhos do Roberto Marinho. Só na Coréia do Norte …

 Saiu na Folha (*):


TV aberta cresce 9% em 2012


A TV aberta deve encerrar o ano com um crescimento no faturamento publicitário de cerca de 9% em relação a 2011. Segundo fontes do mercado, o volume de investimentos publicitários no setor deve fechar o ano na casa dos R$ 19,7 bilhões.

Em 2011, a TV aberta abocanhou R$ 18 bilhões do montante investido em publicidade no país.





A história não é bem essa.
Amigo especialista em números oferece ao amigo navegante, de presente de Natal, um complemento à informação da Folha (*).
Em 2012, a tevê aberta abocanhou 64,8% de toda a publicidade do Brasil.
Desde o tijolinho para vender um Fusca usado, em Santana do Parnaíba, ao outdoor na Avenida Paulista, com tudo somado, a tevê aberta fica com 65%.
Em nenhum lugar do mundo existe tamanha concentração.
Mas, a excrescência maior não é essa.
É outra.
A Globo fica com 80% – 80% !!! – dos 65% !!!
Em nenhum lugar do mundo existe tamanha concentração.
Talvez na Coréia do Norte !
Viva o Brasil !
Ou seja, a Globo monopoliza – para ficar bem claro: MONOPOLIZA – 80% de 65%, ou seja, 52% de TODA a publicidade do país.
O mais obsceno não está aí, ainda: neste ano santo de 2012, o market-share da Globo cresceu 1%.
Ou seja, amigo navegante, o Governo Dilma é uma bênção à Globo.
Tudo o que ela recusa aos bancos com a outra mão oferece aos filhos do Roberto Marinho – que não têm nome próprio.
Onde já se viu, amigo navegante, o Governo Dilma dedicar 2/3 de sua verba oficial à empresa de televisão que MONOPOLIZA o mercado, e trabalha, dia e noite, na editoria “o Brasil é uma m…”, para derrubá-la ?
O Governo Dilma tem duas culpas nesse cartório.
Sustenta a Globo.
E não promove a Ley de Medios.
Viva o Brasil !
E o resto do PiG (**) ?
A Folha, o Estadão, o detrito sólido de maré baixa ?
Eles também são contra a Ley de Meios, que pretende democratizar a informação e abrir o mercado de mídia do país.
Eles acham que o Dirceu quer escrever os editoriais (que ninguém lê) da Folha (*) …
A Folha, o Estadão e o detrito sólido são alguns dos prejudicados pela monumental concentração que só beneficia o Clarín, ou seja, a Globo.
Imagine, amigo navegante, somar à tevê aberta a Globosat, os jornais Globo e Valor, a revista Época, as emissoras de rádio, onde se troca a notícia, os portais de internet etc etc.
A Globo, fácil, fácil, fica com 60% de TODA a verba publicitária do país.
Ou seja, se a verba total de publicidade do país for de R$ 28 bilhões, os filhos do Roberto Marinho levam para casa R$ 18 bilhões.
Sobram para o resto R$ 10 bilhões.
O Brasil inteiro disputa a migalha – um pouco mais de um terço – que não vai para o bolso dos filhos do Roberto Marinho.
E o Otavinho, o Estadão e o Robert(o) Civita são contra a Ley de Medios.
Uns jênios !

Clique aqui para ler “Dilma tem a ver com o mensalão, sim !”.

Paulo Henrique Amorim

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a  Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

(**) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

 http://www.conversaafiada.com.br/pig/2012/12/25/globo-cresce-no-governo-dilma/

O lixo de luxo



Há décadas que, na véspera de Natal, minha família é tomada por um ritmo frenético de trabalho voluntário que consiste em preparar, além da Ceia Sagrada, marmitas de alumínio e pacotes contendo brinquedos usados que vamos reunindo ao longo do ano. Depois, saímos pelo bairro distribuindo as doações a uma população de rua que, nessa época, abunda aqui na região da Avenida Paulista.
Neste ano, porém, foi mais fácil. Não precisamos procurar as pessoas às quais faríamos as doações, pois elas vieram até nós. A rua em que residimos foi praticamente invadida por essas famílias desabrigadas por ações de reintegração de posse, por estarem recém-chegando a São Paulo ou por viverem nas ruas mesmo.
Não é novidade, para quem vive nos bairros ditos “nobres” de São Paulo, nas noites de véspera de Natal e Ano Novo ver famílias inteiras – quase sempre negras ou mestiças e com muitas crianças – remexendo o lixo. E elas continuam lá no dia seguinte, invariavelmente mergulhadas nessa tarefa deprimente e frenética.
Essas famílias reúnem-se em torno dos suportes para lixo fincados diante dos imóveis de modo a abrirem aqueles sacos de plástico negro em busca de comida, roupas e até de brinquedos “em bom estado” que os mais abastados jogam fora. Inquiridas sobre o que fazem, dizem que o maior desperdício nos bairros ricos é o que produz um “lixo de luxo”.
Na véspera do Natal deste ano, enquanto a esposa preparava as doações para irmos distribuir antes da meia noite, olho pela janela da área de serviço e deparo com uma cena que me reduziu o coração a pó.
A fartura de comidas e presentes do lado de dentro de minha residência contrastava, de forma lancinante, com a cena de uma família negra, esfarrapada, organizada em torno do suporte para lixo. Parecia uma linha de produção industrial. Os grandes sacos de lixo eram passados de mão em mão até serem despejados na calçada, onde era feita a triagem do que poderia ser aproveitado.
Chamei a esposa e sugeri que, como havia famílias em mais de um ponto da rua dedicando-se àquela tarefa humilhante, fizéssemos ali mesmo, à porta do nosso prédio, o que costumamos fazer perambulando de carro pelo bairro.
Mulher e filho, então, lotaram o elevador com as doações e saíram à rua ao encontro daquela pobre gente para a qual os moradores do bairro lançavam olhares de reprovação por estarem “fazendo sujeira”. Quando se aproximaram, os surpresos catadores de lixo, percebendo os embrulhos de presente e as marmitas de alumínio, cercaram-nos.
Enquanto conversavam com os desvalidos de todas as idades, vizinhos nossos romperam a indiferença e se aproximaram para saber “o que estava acontecendo”. Depois, a esposa relatou que pensaram que ela e meu filho estavam sendo assaltados (!?).
O que machuca mais, em tudo isso, não é só a visão que os favorecidos pela sorte têm dos indigentes. O mais trágico é a indiferença. Enquanto se entrega ao consumismo, essa patética classe média alta mostra que se condicionou a não se comover com tragédias sociais e a enxergar as vítimas da injustiça social como vândalos e até mesmo como criminosos.
Entregamos as doações e, com a consciência anestesiada pela caridade cômoda, voltamos ao refúgio do lar e, da janela do apartamento, ficamos assistindo ao desenlace da cena dantesca. As famílias pobres, após extraírem o possível dos sacos, colocaram tudo de volta neles, deixando a rua até mais limpa, pois o lixo de luxo nem sempre é embalado corretamente por quem o produz.

 http://www.blogdacidadania.com.br/2012/12/o-lixo-de-luxo/